The Leachox™ Refractory Gold Process – The Testing, Design, Installation and Commissioning of a large Scale Plant at the VASGOLD Gold Mine, Kazakhstan. Presented at the MEI Precious Metals ‘10 Conference, Falmouth, Cornwall, UK, June 2010.

Mina de Ouro de Agnes

A primeira unidade de processamento utilizando o processo Leachox foi fornecida em regime de contrato de licença para a mina Agnes na África do Sul, propriedade da African Pioneer Mining. A mina de Agnes já havia tentado, sem sucesso, um processo de pilha biológica para tratar o minério de ouro refractário. As razões dadas para as baixas recuperações obtidas a partir do processo biológico seriam a má aderência do concentrado ao substrato no sistema de revestimento, o concentrado possuir níveis elevados de carbonato e problemas relacionados com a permeabilidade da pilha, devido à natureza sub-tropical do local, ou seja, as fortes chuvadas de verão que retiraram concentrado ao substrato e a formação de canais na pilha. A mina entrou em fase de reparação e manutenção. O sistema Leachox foi trazido para tratar os rejeitados de teor elevado resultantes da pilha por um período de cerca de um ano. O teor dos rejeitados variava em geral de cerca de 20g/t a 25g/t de Au, mas muitas vezes foi tratado material com teor acima de 35g/t de Au. O processo Leachox conseguiu recuperações superiores a 85% neste material com consumos de cianeto, oxigénio e cal de cerca de 4 kg/t, 10 kg/t e 10 kg/t respectivamente. A lixiviação directa com cianeto dos rejeitados (isto é, sem utilizar o processo Leachox) só gerou recuperações na ordem dos 15 – 20%.

Transvaal Gold Mining Estates

A Simmer & Jack alugou um sistema híbrido Leachox para utilização na operação da TGME perto de Pilgrim’s Rest na África do Sul. A unidade Leachox, que é operada pela MMS sob contrato, trata cerca de 30% do minério refratário que entra nas instalações, dependendo da natureza do minério extraído. O equipamento alugado inclui um circuito de Célula-G Imhoflot para a remoção de carbonatos subtratores de preg, um circuito de Célula-G para a recuperação de sulfuretos e um circuito híbrido de Reactor Aachen da Leachox em combinação com um moinho Deswik agitado de moagem ultra-fina. Mesmo com apenas tratamento parcial através do processo Leachox, as recuperações subiram mais de 50% em comparação com as obtidas anteriormente.